Gostos e Desgostos

terça-feira, 13 de março de 2012

Cada um sabe a capacidade de sentir, sabemos quando sentimos algo forte por alguém e quando não existe a possibilidade de qualquer coisa acontecer. Muitas vezes forçamos sentimentos pelos motivos mais fúteis e nos enganamos ao nos achar injustiçados ou infelizes com a perda do que nunca deveria ter sido nosso. Pensei que amava beleza, mas não amo, acreditei que amava interesses comuns, mas não basta e um dia achei até que as facilidades da vida eram meu destino e nunca foram. O sentimento não pode ser forçado, ele aparece e com a simplicidade do respirar, envolve você como o ar ao seu redor. Não gosto quando criam um paralelo entre amor e ódio por não acreditar nele. Amor é difícil, trabalhoso, tem sua paixão e tem seus problemas também, não é perfeito, mas é forte como nada mais no mundo. Poucas pessoas conseguem sentir algo como ódio, o que se sente é raiva da perda, a falta, a raiva de si mesmo por sentir saudades, das impossibilidades colocadas diante de você pela pessoa que você ama e quem você acreditava amar você também. Temos gostos e desgostos diários, mas isso não quer dizer que é preciso sofrer diariamente. É preciso ser capaz de suportar muito nessa vida para vive-la.

1 comentários:

Alê disse...

E por vezes, com nós na garganta, e sumos do coração, caindo pelo rosto, ao sabor do vento: é preciso deixar partir,

Ou ter a coragem de não voltar...


Mesmo que doa todo dia.

Postar um comentário